Instrumentos de punição mais utilizados da história

0

Décadas antes da criação de presídios e cadeias(e mesmo após a criação deles), povos costumavam punir pessoas que faziam mal a sociedade de maneiras brutais, ocasionando muita dor, constrangimento e, na maioria dos casos, levava a pessoa a morte. Confira abaixo dez dos instrumentos de punição mais utilizados do passado.

Touro de bronze



(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

Com o formato de um bovino, esse dispositivo era colocado sobre uma fogueira e, após aquecido, acabava cozinhando o condenado que estava preso em seu interior.

Berço de Judas

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

Criado pelo o italiano Ippolito Marsili, o berço de Judas era considerado um instrumento leve de punição. O dispositivo não permitia a pessoa dormir enquanto não confessasse o que tinha cometido. Mas apesar disso, ao longo dos anos, o instrumento começou a ficar mais cruel. Com uma ponta pontiaguda, as pessoas eram largadas com força sobre o objeto e acabavam machucando suas genitálias.

Forquilha do Herege

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

A Forquilha do Herege era um dispositivo de metal com duas pontas pontiagudas. Presa no pescoço do condenado, as pontas acabavam perfurando as regiões do maxilar e do peito. Não levava a pessoa à morte, mas servia como castigo antes de uma punição letal. Esse instrumento foi muito utilizado pela a igreja católica na antiguidade.

Esmaga joelhos

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

O dispositivo, no qual era coberto por pregos, era preso no joelho do condenado e pressionado até que todos os pregos tivessem penetrado na carne.

Roda Alta

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

O condenado, nu, tinha todo o seu corpo amarrado a uma roda feita de madeira ou ferro. Após preso, a roda começava a girar e acabava quebrando ossos e rompendo todos os ligamentos do réu. Depois, o condenado era abandonado em vias públicas para morrer.

Burro Espanhol

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

O método de castigo chamado burro espanhol era o mais cruel que existia na antiguidade. As vítimas, nuas e com pesos presos em seus pés, eram colocadas no aparelho que possuía o formato de um V invertido. Isso fazia com que se dividisse ao meio o corpo do condenado.

Máscara da vergonha

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

A Máscara da Vergonha era o método de punição mais leve que existia na antiguidade. Como o próprio nome diz, o aparelho era uma máscara que era colocada no condenado que cometia crimes leves. O objetivo do aparelho era ridicularizar em público as pessoas que a usavam.

Serrote

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

Considerado como um instrumento radical de punição, neste castigo a pessoa era suspensa de cabeça para baixo e tinha seu corpo cortado pela a metade com um auxilio de um serrote. A posição fazia com que o condenado sangrasse menos e aguentasse a dor até o umbigo, pois era o ponto onde o réu perdia a consciência.

Mesa de evisceração

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

O condenado, amarrado a um suporte de madeira, ficava abaixo de uma manivela que continha uma corda. Depois, o carrasco abria um pequeno furo no abdômen do condenado e amarrava seus órgãos. Acionada levemente, a manivela fazia com que as tripas do condenado sejam extraídas aos poucos.

Guilhotina

(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)
(Fonte da imagem: Internet/Reprodução)

A Guilhotina foi um instrumento de punição mais utilizado na revolução francesa. Apesar de ser um modo de punição cruel, a guilhotina fazia com que o condenado tivesse uma morte rápida com o uso de uma lâmina suspensa que caia sobre o pescoço da vítima.

Artigos Relacionados


Sua reação

  • FASCINADO
  • FELIZ
  • TRISTE
  • IRRITADO
  • ENTEDIADO
  • MEDO